:
     
CBCO
NOTCIAS

Engenharia de Petrleo

 

É o conjunto de técnicas usadas para a descoberta de poços e jazidas e para a exploração, produção e comercialização de petróleo e gás natural. O bacharel em Engenharia de Petróleo, ou engenheiro de petróleo, tem como campo de atividade petroleiros, refinarias, plataformas marítimas e petroquímicas. É requisito da profissão conhecer a legislação internacional que regula as atividades ligadas ao petróleo e seus derivados e, como a maior parte das empresas do setor é estrangeira, é necessário ter fluência em inglês.

 

O mercado de trabalho

 

O mercado do pré-sal está impulsionando a corrida para formar 250 mil novos profissionais até 2016 - entre eles, o engenheiro de petróleo.

O Rio de Janeiro concentra 80% da produção do petróleo nacional e costuma apresentar mais oportunidades de emprego. Mas a Região Nordeste já conta com o Polo Petroquímico de Camaçari (BA), com a refinaria da Petrobras de Pernambuco, que deve começar a funcionar em 2011, outra refinaria no Maranhão, cuja entrada em operação está programada para começar em 2013, e a do Rio Grande do Norte, que deve começar a operar no segundo semestre de 2010.
Salário inicial: R$ 3.060,00 (6 horas diárias; fonte: Crea-SP).

 

 

O curso

As aulas são recheadas de cálculos, principalmente nos dois primeiros anos. Estudam-se física, química, geologia, geometria, álgebra, lógica, estatística, mecânica e fenômenos de transporte. A partir do terceiro ano, entram matérias mais específicas, como fontes alternativas de energia, técnicas de exploração e refino do petróleo, prospecção de petróleo, matérias na indústria do petróleo, engenharia de reservatório, métodos de elevação, ciências dos materiais, entre outras. Na grade curricular também há disciplinas ligadas à gestão do negócio, como marketing, empreendedorismo, gestão ambiental e direito internacional. Estágio e trabalho de conclusão de curso são obrigatórios para se formar na graduação.

Duração média: quatro anos.

Outros nomes: Eng. de Gás e Petr.; Eng. de Petr. e Gás; Eng. Mecân. (petr. e gás).

 

O que você pode fazer Comercialização

Atuar na venda do petróleo aos compradores nacionais e internacionais e fazer pesquisa de preços de matérias-primas.

 

Consultoria

Prestar serviços para empresas do setor para avaliar os riscos ambientais na exploração, produção e distribuição do produto.

 

Desenvolvimento de equipamentos

Projetar e acompanhar a produção de novos equipamentos utilizados nas plataformas marítimas, nas petroquímicas e em refinarias. Pode atuar também na venda desses equipamentos.

 

Exploração do petróleo e derivados

Decidir como será feita a perfuração dos locais para que o material seja retirado sem prejuízo ambiental nem financeiro.

 

Procura de reservatórios

Traçar planos para a descoberta de jazidas de petróleo ou poços de gás natural, levando em consideração cálculos e características físicas de determinados espaços. Analisar a capacidade de produção dos novos reservatórios.

 

Transporte e distribuição

Desenvolver e implantar projetos para o transporte de petróleo e derivados e gás natural desde os locais de exploração até a chegada nas refinarias e petroquímicas. Cuidar da distribuição do produto final até os postos e as indústrias.

 

Fonte: http://guiadoestudante.abril.com.br/profissoes/engenharia-producao/engenharia-petroleo-602976.shtml

 

PROFISSÃO TEM GRANDE DEMANDA NO MERCADO DE TRABALHO

 

Recém-criado nas universidades brasileiras, o curso de engenharia de petróleo já atrai uma grande quantidade de vestibulandos. A graduação é a mais concorrida do processo seletivo 2007 da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), desbancando medicina - tradicionalmente a mais procurada.  Engenharia de petróleo tem 28,4 candidatos por vaga, enquanto medicina possui 28,06.
 
Para especialistas, a grande procura pela graduação reflete o crescimento da demanda por profissionais no mercado de trabalho. “A área está em ampliação no país e não há um número suficiente de pessoal capacitado. Se fizerem um concurso hoje para contratar 200 pessoas, não vai haver concorrentes”, afirmou o professor universitário

 

A indústria de petróleo representa hoje 9% do Produto Interno Bruto (PIB) nacional é uma das áreas que mais tem avançado no país. O setor cresceu 318% entre 1998 e 2004, contra apenas 14,2% da economia brasileira, segundo dados da Agência Nacional de Petróleo. Só a Petrobras - a maior do país no setor - lucrou R$ 23,7 bilhões em 2005 e pretende investir US$ 87,1 bilhões no setor entre 2007 e 2011. A meta da empresa é dobrar de tamanho até 2015.

 

Mercado de trabalho
Segundo especialistas o salário inicial de um engenheiro de petróleo fica entre R$ 3.300 e R$ 3.500. Quem trabalha em campo, como nas plataformas, recebe um acréscimo de 30% de adicional de periculosidade.

 

A graduação também abre possibilidades para quem quiser atuar fora do país, pois o mercado mundial precisa de profissionais da área, segundo afirmam especialistas.

 

Não há dados sobre a demanda no Brasil, mas a Petrobras, por exemplo, selecionou 760 pessoas para atuar como engenheiros de petróleo entre 2000 e 2006. Neste ano, outros 337 que foram aprovados em concurso público devem ser admitidos. A projeção da empresa para o período de 2005 a 2008 é contratar 11.286 pessoas. Só neste ano, foram sete mil contratados.

 

Segundo dados do Instituto Brasileiro de Petróleo e Gás (IBP), as concessionárias devem aplicar US$ 25 bilhões entre 2006 e 2011. Há ainda empresas que prestam serviços para as concessionárias.

 

Fonte: http://g1.globo.com/Noticias/Vestibular/0,,AA1295359-5604,00.html

 

ENGENHARIA DE PETRÓLEO E GÁS É UMA ÁREA COM POUCOS PROFISSIONAIS

 

Oferecidos por universidades públicas e privadas, os cursos de engenharia de petróleo e gás preparam profissionais para atuarem no desenvolvimento de campos de prospecção, exploração e expansão de jazidas, transporte, refinamento, industrialização e atividades afins como processamento de gás natural.

 

 “É uma profissão nova no Brasil e que está em expansão no mundo todo. A preocupação com os recursos energéticos e o alto preço do petróleo contribui para que se firme como uma profissão estratégica”, explica Osvair Trevisan, professor do departamento de Engenharia de Petróleo da Faculdade de Engenharia Mecânica da Unicamp (Universidade Estadual de Campinas). De acordo com Trevisan, um dos idealizadores do Centro de Estudo do Petróleo (Cepetro) da Unicamp, “é uma profissão fascinante para quem realmente gosta de engenharia, na qual é fundamental desenvolver tecnologias avançadas”.

 

O Instituto de Petróleo da Universidade Estácio de Sá, no Rio de Janeiro, prevê que o setor receba R$ 50 bilhões de dólares nos próximos cinco anos e ofereça anualmente 20 mil empregos, diretos e indiretos, nas atividades industriais e comerciais ligadas ao petróleo, gás e seus derivados.

 

O mercado de trabalho está, principalmente, na região da bacia de Campos, que se estende do Espírito Santo até Cabo Frio, no litoral norte do estado do Rio de Janeiro, que é a maior reserva de petróleo do país. Atualmente, estão em operação nesta bacia mais de 400 poços de óleo e gás, 30 plataformas de produção e 3.900 quilômetros de dutos submarinos. Outros estados como Bahia, Rio Grande do Norte e Amazonas também oferecem vagas.

 

O salário inicial gira em torno de R$ 3.500,00 e quem trabalha em campo, como nas plataformas, recebe um acréscimo de 30% de adicional de periculosidade. Para quem quiser seguir carreira internacional, Canadá e Oriente Médio são mercados promissores.

 

Fonte: http://www.mundovestibular.com.br/articles/4758/1/ENGENHARIA-DE-PETROLEO-E-GAS-E-UMA-AREA-COM-POUCOS-PROFISSIONAIS/Paacutegina1.html

 

Engenharia civil

 

Engenharia Civil

Bacharelado

 

 

É o ramo da engenharia que projeta, gerencia e executa obras como casas, edifícios, pontes, viadutos, estradas, barragens, canais e portos.

O mercado de trabalho

 

O mercado para o engenheiro está aquecido em todo o país, e a expectativa é melhorar ainda mais nos próximos anos. O bom momento atual é reflexo do crescimento da economia e de projetos do governo federal como o Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) e o Minha Casa Minha Vida, que aumentou a oferta de imóveis, o que beneficia o bacharel. Para os próximos anos, a demanda pelo profissional deve aumentar, já que dois grandes eventos serão sediados no país: a Copa do Mundo, em 2014, e os Jogos Olímpicos, em 2016. "Serão grandes construções, como portos, canais, barragens, que levam de quatro a cinco anos para ficar prontas. O mercado só tende a melhorar ainda mais", afirma José Gabriel Maluf Soler, coordenador do curso da PUC Minas. De acordo com ele, a construção civil é o setor que mais absorve esse bacharel. O aquecimento do mercado imobiliário nos últimos anos segue influenciando a grande procura por esse engenheiro. Escritórios de arquitetura também costumam contratar o profissional para atuar no planejamento de projetos. Entre os setores apontados como promissores, estão o de petróleo e gás, que deverão receber investimentos em obras de grande porte, como gasodutos, refinarias, plataformas, navios e estaleiros. Outras áreas com boa perspectiva são energia e saneamento básico.

Salário inicial: R$ 3.060,00 (6 horas diárias; fonte: Crea-SP).

O curso

Disciplinas como matemática, física, estatística, desenho e lógica são o forte do currículo. Há atividades em laboratório e matérias das áreas de administração e economia que ensinam técnicas e métodos de gerenciamento de projetos e equipes. Nos três anos finais, você cursa disciplinas mais ligadas às áreas de especialização escolhidas: estruturas, construção civil, hidráulica e saneamento, transportes ou geotecnia. Para obter o diploma, o estágio é obrigatório, assim como um trabalho de conclusão de curso.

 

Duração média: cinco anos.

Outros nomes: Eng. Civil (amb.); Eng. Civil (ênf. em estrut. metálicas); Eng. Civil (ênf. em meio amb.); Eng. Civil (ênf. em sist. construtivos); Eng. Civil (estrut. metálicas); Eng. Civil (transp. e log.); Eng. Civil de Infraestrutura; Eng. Civil e Amb.; Eng. de Prod. Civil; Eng. em Constr. Civil.

 

O que você pode fazer Construção urbana

 

Projetar, construir e reformar prédios e grandes instalações, como estádios esportivos, shopping centers e aeroportos.

 

Estruturas e fundações

Projetar e edifi car fundações e estruturas de madeira, aço ou concreto, que dão apoio às construções, calculando o material necessário e as dimensões da obra.

 

Gerência de recursos prediais

Manter em ordem a infraestrutura de prédios e estabelecer padrões de qualidade, ocupação e uso do espaço.

 

Hidráulica e recursos hídricos

Projetar, gerenciar e executar obras de barragens, canais, reservatórios, sistemas de irrigação, drenagem ou obras costeiras.

 

Saneamento

Fazer o projeto e construir obras de saneamento básico, como redes de captação e distribuição de água e estações de tratamento de água e esgotos.

 

Transportes

Projetar e construir obras de infraestrutura, como rodovias, ferrovias, viadutos, portos, metrôs e viadutos.



Mais Notcias

Acompanhe nas redes sociais:
Inscries O Grupo Contato